domingo, 29 de novembro de 2009

29 DE NOVEMBRO DE 2009

Noventa anos atrás, ou seja, precisamente no dia vinte e nove de novembro do ano de hum mil novecentos e dezenove, em uma pequeníssima cidade do Estado do Maranhão, nasceu uma linda menina, que veio a receber o nome de Izabel.
Devido às circunstâncias especiais de família - uma delas, a perda de seus pais, Izabel casou-se com a tenra idade de treze anos.
O jovem que a desposou chamava-se Francisco Assis, dez anos mais velho que Izabel e os dois experimentaram uma abençoada e harmoniosa vida conjugal que durou sessenta e quatro anos.
Francisco Assis era um lavrador, que conheceu a Cristo no fulgor de sua juventude. Sua conversão foi o marco inicial de profundas, duradouras e positivas mudanças em sua vida.
Ele foi diácono, presbítero e finalmente Pastor. Seu ministério pastoral ultrapassou a marca do meio século. Ao longo de sua vida leu as Escrituras Sagradas cerca de duzentas e sessenta vezes. Algo digno de figurar nas páginas do Guinness.
Seus nomes completos: Francisco Assis Gomes e Izabel Nunes Gomes. Eles tiveram 3 filhos: Heli, o primogênito e depois um casal de gêmeos. A filha se chama Essi e vive no Rio de Janeiro. Seu irmão se chama Geziel. Sou eu, portanto.
Hoje minha querida mãe completou noventa anos.
Seu aniversário foi comemorado em casa de minha irmã. Durante todo o dia ela recebeu inúmeros telefonemas de congratulações por esse evento singular (21-3363-0866).
Peço licença aos meus prestimosos leitores para alterar a linha que orienta este blog, somente esta vez. Este espaço eu o dedico hoje a minha querida mãe.Por suas qualidades, posso chamá-la de mãe modelo, de mãe amiga, de mãe ideal.
Lembro-me dela como esposa de pastor, como mãe habilidosa e como mulher de Deus.
Ela exerceu por várias décadas o dom da hospitalidade, e ainda exerce.
Ela não possui mais o vigor dos dias passados, mas conserva viva a esperança dos dias futuros.
Alguns dias atrás, quando orava por sua saúde, eu a vi glorificando a Deus com profunda singeleza de alma e com línguas estranhas.
Eu me emocionei ao perceber a evidência de uma comunhão com Deus que os anos não eliminaram.
Não tenho a menor idéia de quantos anos ela ainda viverá nesta terra.
Mas sei de um desejo inquietante que enche sua alma de rever o seu esposo amado, que está "do outro lado" e que ela sabe que está mais vivo que ela, e em muito melhor lugar.
Não desejo lhe dedicar flores quando seu corpo estiver no esquife.
Quero que ela saiba que a homenageio enquanto ela pode ouvir e sentir a emoção e a gratidão de estar sendo ela abençoado, de mil maneiras, ao longo de meus sessenta e nove anos.
Parabens, minha mãe. És a minha Ana, a minha Joquebede, a minha Eunice de sempre.
Perdoa-me pelas vezes que te fiz sofrer.
Consola-te por saber que sou profundamente feliz.
Gostaria de ver-te viva, aqui na Terra, no teu centenário.
Desejo que o Grande Médico te dê a saúde que necessitas e te supra de tudo quanto porventura tiveres falta.
Queria recordar-te que não somente a mim tens abençoado, senão a muitíssimos outros, espalhados em muitas direções.
Seja a bênção do Senhor seja tão permanente na tua vida como o próprio ar que respiras.
Tua vida é uma evidência genuína do que declara a Palavra de Deus: "Os justos florescerão como a palmeira... na velhice ainda darão frutos".
Que eu possa continuar a desfrutar da sombra desssa palmeira e me deliciar com seus preciosíssimos frutos.
Tudo para a glória de Deus.
Parabens, mãe, pelos seus 90 anos.
Em meu nome, de minha esposa e de meus filhos, genro, noras e netos.
PARABENS.

Um comentário:

Ministerios Centro de Fe disse...

Parabens Vo por esta data memoravel.
Feliz e todo aquele que consegue chegar a esta idade rodeada por frutos de uma vida de fe, amor, coragem e dedicacao.
A senhora e para mim um exemplo de vida.
Deus lhe conceda mais anos, todos com saude e forca.
Te amo,

Seu neto,
Geziel Filho